Mas o que é a música Brega?

os caras do brega – o início
Com grandes características do jazz e as mais distintas influências rítmicas brasileiras, o brega (comumente chamado de “cafona”) atualmente vêm essencialmente do nordeste e significa, mais claramente, puteiro ou cabaré. Como gênero musical, denomina-se brega todo artista que tem em seu repertório músicas de melodias fortes, letras simples e quase sempre excessivamente românticas (1).

O negócio começou pra valer aqui no Brasil ainda nos anos 30, quando o país ainda era patriarcal e agrário. Nessa época a vida era boêmia, tendo como melhor saída noturna as grandes serestas e prostíbulos com shows ao vivo, onde músicos se apresentavam com todo o aparato indumentário de um cafajeste ou de um malandro urbano, quando não estavam em noitadas investiam numa rica musicalidade e sentimentalismo para suas canções. Essa cultura durou até o final dos anos 60 por não ter sido intitulada como aposta das TV’s que surgiam rapidamente no centro do país, que se moldaram à grade de programação nos padrões gringos (tidos como sucesso garantido), assim a música de temática “romântica e cafajeste” saiu do centro brasileiro e partiu para as camadas mais populares como o norte do país, o que virou desprezo logo em seguida pelas demais regiões, ainda mais quando em 1962 o famoso produtor/artista Carlos Imperial classificou o gênero como “cafona” e de “mau gosto”.


Paulo Sérgio, quem disse que o rei é o Roberto?

A partir daí os cantores de brega se dividiram, e passaram a se auto-intitular MPB ou a onda beatlemania brasileira Jovem Guarda, o que era na verdade uma jogada marqueteira das gravadoras CBS, Copacabana e EMI e conseqüentemente foi adotada pelas demais. Até esse momento, cantores como Roberto Carlos e Belchior já eram sucessos. Pra ter uma idéia de popularidade, Paulo Sérgio (morto em 1980 por um derrame cerebral) chegou a vender 8 milhões de discos em 15 lançados em sua curta carreira e o cantor Baltazar, em meados de 70, lançou o LP “Se ainda existe Amor” e em seis meses já contabilizavam 1 milhão e meio de exemplares vendidos, ao todo foram mais de 7 milhões.

Quando essa fórmula se transformava em sucesso absoluto veio a perseguição da Ditadura Militar (2),, classificando o gênero como instrumento de alienação social, o cantor Odair José é um dos artistas brasileiros com o maior número de músicas vetadas pelo governo ditatorial, mesmo assim ainda conseguiu emplacar hits como a polêmica “Pare de tomar a Pílula” e “Eu Vou Tirar Você Deste Lugar’, que era um confissão de um homem apaixonado por uma mulher de cabaré, o que geraria revolta numa sociedade em que não se podia falar claramente sobre sexo e profissões subversivas (3).

os caras do brega – o fim

Nos anos 80 o brega sertanejo toma lugar nas rádios, deixando a maioria dos cantores consagrados confinados ao ostracismo. O esquema de duplas caipiras e um violão com acordes abertos virou febre e começou a ser chamado de “brega aceitável”, mudando todo o esquema de vestimenta, chavões e conduta social criada pelos artistas bregueiros. As novelas da rede Globo tinham cada vez mais audiência, o que possibilitou uma série de tendências pós-brega sem ter um vínculo real com o conceito do gênero, dando espaço para várias vertentes que surgiram nos anos subseqüentes
(4).

Um exemplo disso é o que acontece da década de 80 em diante com uma nova jogada publicitária – dessa vez incluindo políticos como José Sarney (MA) e Antonio Carlos Magalhães (BA) e a parte governista beneficiada pela então quase extinta ditadura militar – criou-se o termo “brega moderno”, com o conceito mais plurarista e aceitável do original, várias concessões foram entregues para aliados políticos do governo, que obedeciam a grade musical já estabelecida. A partir desse ponto o gênero se reinventa e novas vertentes ganham gosto popular como o axé-music, o funk carioca e o pagode romântico (5), que nada mais era que a mistura entre a vida lúdica do sambista carioca e o estresse urbano vindo de São Paulo.

Até hoje é comum falar do gênero e cair no conceito de canções com pouco refinamento, dando a seus bregueiros tons pejorativos de cafona, deselegante e um adjetivo certo para mau gosto. Mas depois a gente conversa sobre o cenário atual desse ritmo brasileiro, ainda tem muita coisa rolando.

Referências Bibliográficas.
(1) Almanaque da Música Brega, de Antonio Carlos Cabrera. Editora Matrix.
(2) Nada será como Antes: MPB Anos 70: 30 Anos Depois, de Ana Maria Bahiana. Editoria Senac.
(3)
Eu Não Sou Cachorro Não – Música Popular Cafona e Ditadura Militar, de Paulo Cesar de Araújo. Editoria Nova Cultura.

(4) http://musicadasantigas.blogspot.com
(5) http://www.bregapop.com

*texto originalmente publicado na Revista Grifo (nº2), Cuiabá/MT.

1 Response to “Mas o que é a música Brega?”


  1. 1 notas para flauta de la cancion darte un beso julho 2, 2014 às 5:12 am

    Hello mates, good piece of writing and nice urging commented at this place, I am genuinely enjoying by these.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Carpatia

Este é um blog de pesquisa musical. Por aqui rola de tudo, de tudo mesmo. Manda logo um e-mail, dewiscaldas@gmail.com

Visitas

  • 103,117 acessos
Follow dewiscaldas on Twitter

Acesse o Flickr do Blog

Mais fotos

Visite

Quem escreve?

Dewis Caldas é músico, jornalista e pesquisador musical.

Clique e baixe o Disco da Semana

Disco da semana

Raimundo Soldado (1946 – 2001)
O Astro do Maranhão [1985] #forró #santa_inês #arrocha

A Maravilhosa Nuvem de Tags

2 filhos de francisco rita lee cérebro eletrônico lee ac dc black Ice acid rock acid rock beach boys pink floyd progressivo space acid rock led zeppelin gentle giant beach boys yes pink Amado Batista Sony BMG Amy Winehouse Lioness Arctic Monkeys Axl Rose Geffen Chinese Democracy Guns And Roses desapa barack obama lula BBKing Museu Mississipi beatles billboard brasil blue man group Phil Stanton Chris Wink Matt Goldman brega Britney Spears Nua britney spears ronaldo fenômeno circus Cake Gloria Gaynor carlos casagrande altas horas skank sonny BMG centro de eventos do pantanal chitãozinho zororó pauoo sérgio brega dewis caldas corinthians roberto carlos cuiabá Dewis Caldas Ormanne die dual disc matanza bruce springteen duran duran new romantic new wave sintetizador eddie van halen eruption factoide festival calango Franz Ferdinand vazou glam rock 70 david bowie T.Rex Hard Rock Heavy Metal hermeto pascoal horario eleitoral Jimmy Page Leona Lewis Toca Rauuul john lennon joão gilberto gravações raras chico pereira julian casablancas kiss brasil lilly allen It’s Not Me It’s You live nation ticketmaster fusão madonna Brasil Live Nation Warner Brothers Hard Candy S madonna live natin sticky and sweet Madonna Live Nation mallu magalhães marcelo camelo jerry lee lewis mary ga mallu magalhães marcelo camelo my space mário caldato mark ronson lily allen britney spears emi sony bmg jive mercedes sosa michael jackson Michael Rapino moby in this world morre mpb noel gallagher soco oasis panaca OEMT Paralamas do Sucesso Brasil Afora paul mccartney paul mccartney mcdonalds paulo mccartney beatles eleanor rigby memory almost ful pink floyd pink floyd midia Portishead power pop Pete Townshend Rubber Soul Audities The Monke queen brasil paulo rodgers Rage Against the Machine We Are Scientists revival cult morrisey vazamento de discos led radiohead banda antiga the police cauby peixoto amy winehouse quincy jones britneys spears new wave backstreet boys spice girls steve vai richar wrigth pink floyd rip Robert Johnson montagem sem tags por favor Sub Pop Geffen Records NIrvana Guns and Roses talking heads once in a lifetime U2 vazou world music

Ranking dos mais acessados

  • Nenhum

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 6 outros seguidores


%d blogueiros gostam disto: