Porque Zélia Duncan é o equilíbrio no pop rock nacional

dafra01

É engraçado como funciona a industria de discos musicais. Imagine só essa nova propaganda da Dafra com o @wagnerMoura [leia-se capitão nascimento] em frente a uma multidão de brasileiros comuns e espartanos. Ele, como líder competente, manda todo mundo repetir “eu sou livre” e imediatamente a multidão corre em direção do veículo como se fosse uma guerra entre dois reinos de sociedade dos aneis, a idéia que fica é que a liberdade seria possível para quem comprasse aquele novo modelo de motocicletas. Tá legal, não to aqui dizendo que esse é o melhor comercial do mundo só quero dizer que ele simplesmente funciona. Outro dia um amigo me confessou que desejava comprar aquele certo modelo Dafra, bom, funciona mesmo. Estou sendo sincero, um disco – de qualquer gênero que for – tem que se comportar assim: funcionando. Talvez seja por isso que a crise fonográfica tenha assustado tanto empresários e artistas de qualquer tamanho – os pequenos, semi-deuses, injustiçados e os mitos.

Gostei desse último disco da Zélia Duncan. É amigo, Pelo Sabor do Gesto vence não só pelas músicas, mas por representar o que há de bacana no pop mainstream brasileiro. Não, não… Não há nada de errado com a nossa cena da música nacional, mas hoje em dia em todo lugar está faltando força criativa. Vejam só as revistas de rock, loucas para que esse próximo disco da banda americana Strokes dê certo e seja bom de se ouvir, porque se não o rock morre de uma vez por todas. Nem sei se concordo com isso.

Zélia (@zdoficial) vêm da galera da universidade Dulcina de Moraes, atualmente está estudando o choro e tem uma discografia segura e bem construída, uma exceção quando se pensa em bandas de Brasília (Duncan nasceu em Niterói/RJ, mas tem parte da carreira na capital federal). Sempre inquieta, já gravou com dezenas de artistas e recentemente fez parte da banda Os Mutantes, num convite muito especial feitos pelos heróis da sua infância. Depois dessa incursão dentro de uma banda lendária (o que mataria a carreira de muitos artistas superficiais da nossa bandeira verde-amarela) ela ainda consegue seguir em frente com uma imagem segura e moderna. Sua divulgação é bem trabalhada, tem um site bacana e o my space, mesmo tendo menos de 40 mil acessos (um número pequeno para os padrões do mercado) é bem feito, atraente e ao mesmo tempo sofisticado, a idéia que dá é que o lugar é seleto, para poucos e calorosos fãs. Eu como ouvinte tive vontade de participar desse mundo. Bem, como disse, funciona mesmo. 

Tenho na tela do meu computador nesse momento o release oficial do disco. E o mais legal é que consegui fácil na Internet # já reparou que as vezes você entra na página do artista e é tão cheio de firulas, flashs e estranbôlhos que tudo que você quer são informações básicas e nunca consegue? Eita, ponto pra Zélia. Opa, será que posso chamá-la pelo primeiro nome? Vamos fazer de conta que ela deixou.  

O que mais espanta no disco é que é feito com amor. É meus amigos, o que antes era comum hoje é raridade entre artistas, ainda mais quando estão numa grande gravadora (como a Universal Music – a maior do mundo) e mesmo assim, ainda dá pra escrever seu próprio release, que digo de passagem, é o melhor que recebi em minha mesa nos últimos tempos. Zélia representa a renovação do pop no Brasil, digo isso sem medo. Ela consegue o equilíbrio perfeito entre uma boa produção e entrega num só disco, é como um mascate vendendo quilos de sua própria carne, como já disse um grande crítico. Quem acha que ela é uma grande intérprete da música brasileira está atrasado, esse posto a cantora já conseguiu a muito tempo. Nesse novo disco ela não assume nenhuma música sozinha, o que faz do disco um sortimento de bons arranjos e ideias, composições que vão de Chico Cézar (que também participou da música), Zeca Baleiro, Moska, Rita Lee e do Pato Fú John Ulhoa que inclusive produziu o disco junto com Beto Villares, que entrou na história por indicação do paralama Herbet Viana.

Legal, não vou comentar as músicas porque ainda estou bebendo delas e as impressões chegam a cada audição. Hey Zélia, se você ler esse texto te peço desde já uma entrevista, mas não uma entrevista qualquer, tem que ser uma livre, na mesma intensidade que foi pra você entrevistar o Itamar Assumpção, pode ser?

zelia

*nota: Gostaria de colocar o link para baixar o disco inteiro, mas como recentemente meu blog saiu do ar porque coloquei o link do novo disco do Arctic Monkeys e por isso quase perdi o blog, então, aprendi a lição. Entre nesse blog aqui (pra não deixar vocês na mão) que tem o link.

8 Responses to “Porque Zélia Duncan é o equilíbrio no pop rock nacional”


  1. 1 babi agosto 13, 2009 às 4:01 am

    muito bom, bem poderia rolar uma entrevistinha mesmo.
    ,)

    • 2 MELISA AMORIM agosto 14, 2009 às 11:50 pm

      Sou fan incondicional da artista perfeita e da pessoal maravilhosamente generosa, inteligente, humilde e sincera que é Zelia Duncan.Sempre partilhei de minhas opinões que para a maioria não passava de exageros de fan, que treme,sua frio, perde a Sou fan incondicional da artista perfeita e da pessoal maravilhosamente generosa, inteligente, humilde e sincera que é Zelia Duncan.Sempre partilhei de minhas opinões que para a maioria não passava de exageros de fanoz e quase cai no choro ao chegar perto dela.

      Isso até poucos minutos atrás, quando acabei de ler este artigo que restabelece a ordem mundial.Lindo, sensivel, escrito por alguém que conhece música e parece partilhar de minha opinião sobre o Festival de Mesmice que ataca o país.Pra alguém que nunca teve nem terá voz neste país como eu, esse artigo abençoado funciona como uma catarse, um desabafo, um alívio.Gostaria muito de tê-lo escrito.

      Parabéns a quem o escreveu, graças a isso hoje posso dormir em paz.Só me permita acrescentar uma frase, ela não é só ponto de
      equilíbrio, ele é o desequilíbrio, a mosca na sopa, o novo que incomoda a quem está acostumado a fazer sempre o mesmo e não ter trabalho nem compromisso de melhorar em nada.

      Mexam-se senhores e preparem-se para correr atrás, comam poeira a vontade.

  2. 3 Alessandro Antunes agosto 17, 2009 às 3:36 pm

    Por ela saber conjugar todos os verbos e manter sua cumplicidade junto a todos, enfim essa é nossa Z.D que tanto amamos e respeitamos.

  3. 4 Carol agosto 19, 2009 às 2:42 am

    “O novo ovo de pé, o estouro”, como diz a letra de uma das suas canções. ZD é maravilhosa e cada vez que ouço um disco novo me sinto diante de uma nova artista. Ela se reinventa e nos inventa ouvintes e admiradores apaixonados!

  4. 5 Letícia B. agosto 26, 2009 às 6:12 am

    Zélia é o equilíbrio do Pop Rock Nacional, porque inova. Tanto nas composições, como nas parcerias. Possuindo a humildade de compartilhar seu talento com outros artistas tão bons quanto ela. E também porque, não procura agradar a “gregos e troianos”, mas sim os adoradores da boa musicalidade brasileira, por isso não se intimida em misturar baladas, sambas e rock em suas produções. Agradando assim o seu público e a outros que ouvem e se encantam com esta espetacular artista!

  5. 6 João Moarão setembro 1, 2009 às 5:58 am

    Caramba!Muito bom o texto.Fiquei muito feliz de ler algo tão construtivo e inteligente a respeito do novo trabalho da nossa grande Zélia Duncan.
    Zélia é sinônimo de carisma,inteligência,dedicação e muito bom gosto.Escolhe seus parceiros muito bem,sua banda sempre afiadíssima.
    Quero muito ir nesse novo show,estou super ansioso para ouvir músicas novas,já vi alguns vídeos de músicas do nosso grande Luiz Tatit,Tom Zé e Roberto Carlos.Mas nada como ver ao vivo,a emoção toma todo o ser de qualquer pessoa apaixonada por uma boa música.
    Agora é só esperar ela fazer uma turnê aqui pelo sul do país,para podermos apreciar essa delícia de cantora,que me dá orgulho de ser brasileiro.
    “Nem tudo que não é você é esquisito”.Frase da última música do cd “Pelo Sabor do Gesto”,muito boa,que me ensinou e muito a respeitar certas diferenças.
    Obrigado Zélia por tudo.A cada dia,nós,seus fãs,a admiramos por tanto talento,simpatia e amor.
    “Saúde,sorte e coragem” para nós sempreeeeeee.
    Obrigado

  6. 7 MARTA HENAO novembro 22, 2009 às 3:53 pm

    ZD E DE MAIS GRAN NOMBRE DEL ROCK, TRASCIENDE LAS FRONTERAS DE BRAZIL, LLEGA A COLOMBIA, A MEDELLÍN, A MI CORAZÓN.

    GRACIAS ZD

  7. 8 Pét Jôse setembro 27, 2010 às 10:33 pm

    num é por ai


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Carpatia

Este é um blog de pesquisa musical. Por aqui rola de tudo, de tudo mesmo. Manda logo um e-mail, dewiscaldas@gmail.com

Visitas

  • 103,117 acessos
Follow dewiscaldas on Twitter

Acesse o Flickr do Blog

Mais fotos

Visite

Quem escreve?

Dewis Caldas é músico, jornalista e pesquisador musical.

Clique e baixe o Disco da Semana

Disco da semana

Raimundo Soldado (1946 – 2001)
O Astro do Maranhão [1985] #forró #santa_inês #arrocha

A Maravilhosa Nuvem de Tags

2 filhos de francisco rita lee cérebro eletrônico lee ac dc black Ice acid rock acid rock beach boys pink floyd progressivo space acid rock led zeppelin gentle giant beach boys yes pink Amado Batista Sony BMG Amy Winehouse Lioness Arctic Monkeys Axl Rose Geffen Chinese Democracy Guns And Roses desapa barack obama lula BBKing Museu Mississipi beatles billboard brasil blue man group Phil Stanton Chris Wink Matt Goldman brega Britney Spears Nua britney spears ronaldo fenômeno circus Cake Gloria Gaynor carlos casagrande altas horas skank sonny BMG centro de eventos do pantanal chitãozinho zororó pauoo sérgio brega dewis caldas corinthians roberto carlos cuiabá Dewis Caldas Ormanne die dual disc matanza bruce springteen duran duran new romantic new wave sintetizador eddie van halen eruption factoide festival calango Franz Ferdinand vazou glam rock 70 david bowie T.Rex Hard Rock Heavy Metal hermeto pascoal horario eleitoral Jimmy Page Leona Lewis Toca Rauuul john lennon joão gilberto gravações raras chico pereira julian casablancas kiss brasil lilly allen It’s Not Me It’s You live nation ticketmaster fusão madonna Brasil Live Nation Warner Brothers Hard Candy S madonna live natin sticky and sweet Madonna Live Nation mallu magalhães marcelo camelo jerry lee lewis mary ga mallu magalhães marcelo camelo my space mário caldato mark ronson lily allen britney spears emi sony bmg jive mercedes sosa michael jackson Michael Rapino moby in this world morre mpb noel gallagher soco oasis panaca OEMT Paralamas do Sucesso Brasil Afora paul mccartney paul mccartney mcdonalds paulo mccartney beatles eleanor rigby memory almost ful pink floyd pink floyd midia Portishead power pop Pete Townshend Rubber Soul Audities The Monke queen brasil paulo rodgers Rage Against the Machine We Are Scientists revival cult morrisey vazamento de discos led radiohead banda antiga the police cauby peixoto amy winehouse quincy jones britneys spears new wave backstreet boys spice girls steve vai richar wrigth pink floyd rip Robert Johnson montagem sem tags por favor Sub Pop Geffen Records NIrvana Guns and Roses talking heads once in a lifetime U2 vazou world music

Ranking dos mais acessados

  • Nenhum

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 6 outros seguidores


%d blogueiros gostam disto: