Moveis Coloniais de Acaju @ Casa Fora do Eixo

Há tempos os grupos musicais caminham para a fragmentação de influências. A batida, as escalas, texturas e rimas se misturam para ser um só, do Maxixe ao Rock, numa mesma linha harmônica. Desde artifício, poucos o atingem tão claramente como os Móveis Coloniais de Acaju. O diferencial é a disposição da banda em ser naturalmente popular por excelência. Junta-se essa mirabolante identidade com um show elétrico, nove pessoas que se encaixam em qualquer palco e não seria exagero dizer que os brasilienses nasceram paras as massas. Assim como o Macaco Bong é o estopim conceitual desta nova música brasileira que se formou, Os Móveis pintados de Acaju são os canhões prontos para deflagrar o movimento.

A diferença se distingue não só pela estética sonora, mas você alguma vez imaginou que seria possível em 2010 uma banda de nove integrantes rodando em turnê como se fosse uma big band da época do Swing, na década de 30? Quem poderia imaginar, em tempos de logística fácil e barata, alguém em sã consciência chamando mais oito amigos para montar uma banda “skazóona”? É isso mesmo, a multiplicidade musical que acompanhou o miscigenado Brasil desde o início volta com tudo, e um pouco mais.

Atipicamente a Casa Fora do Eixo abriu no domingo, esse era o primeiro desafio. 300 pessoas são o ideal para a lotação da casa, esse era o segundo. Não foi nem preciso esperar muito para esses dois “problemas” deixassem de existir. O calor? Ah, quem já não se acostumou morando em Cuiabá?

Maria Albina abriu a noite. Uma banda novíssima, cheia de espinhas na cara, crua, mas com uma energia jovial que juntou semelhantes na idade para frente do palco, até os covers – Kaiser Chiefs, The Killers, Forgotten Boys – foram bem tocados. Seriam um presságio do que a noite reservaria. Da ultima vez que escrevi sobre o Paulo Monarco, cantor e violonista que se apresentou logo em seguida, falei sobre a áurea do artista em cativar o público. Tempo e domínio de palco e, sobretudo, ao seu fator artístico crescente. O desenvolvimento dele é perceptível pelo controle do nervosismo, porque afinal não existe palco sem frio na barriga, se existir, pode mudar de profissão. Monarco está re-criando seu personagem, sua roupa e postura estão mudando no palco. O show passou longe de ser chato e como a casa estava bem mais que a lotação suportava, aqueles que ficaram na frente para “segurar lugar” no show do Móveis tiveram uma boa surpresa. O disco do Monarco sai daqui a dois meses, anotem ai.

To falando sério: a Casa Fora do Eixo estava muito cheia. E o alvoroço começou quando a banda começou a se aprontar em direção ao palco. Demorou para acertar tudo e várias brincadeirinhas para entreter o público ocorreram, pode não parecer mas essas “tecniquinhas” fazem toda a diferença. A festa começou! A correria no palco se montou, o sorriso se abriu e desde o primeiro momento a banda já tomou o público pela mão e imagine só: ninguém comentava o calor, pelo contrário, quero achar alguém que não pulou e suou no compasso dos instrumentos de sopro. Imagino que boa parte de todo esse povo ainda se lembra daquela imensa roda ao som de “Copacabana” ás 4h30 da madrugada no segundo dia do Festival Calango 2007. Nesses três anos sem aparecer por aqui, lançaram o segundo disco que mesmo não tão energético quanto o primeiro, tem um “quê” de evolução estética, foi bem aceito pela crítica especializada e pelo público.

Mas nada disso explica o fenômeno que é o Moveis na efervescência de um show. Tudo é possível quando o sangue sobe pra cabeça e o publico fica receptível, reconhece o timbre vocal. André Gonzáles, aliás, tem um timbre incrível e mesmo pulando sem parar – cheio de sorrisos – mantém a voz uniforme e constante, e não pense que é preciso pouca técnica para chegar nesse patamar. O som é bem construído e os naipes se completam, nenhum instrumento cobre o outro, e tudo se transforma em explosão, ufa! Lembra daquela roda em 2007 que comentei, é claro que se repetiria: A galera abriu espaço para “Copacabana” começar a tocar, se tinha alguém que não havia se divertido ali essa era a hora.

“Vocês tem sorte de ter essa banda como essa em casa”, disse André sobre o Macaco Bong, que entrou para tocar. A galera aplaudiu como se fosse um filho subindo no palco, e na verdade era mesmo. Juntos, eles fazem parte do time que levantam esse pragmatismo artístico de banda/empresa, que trabalham a música como resultado, dentro e fora dos palcos no Auditório do Ibirapuera. No mesmo tablado, mostraram parte do projeto que resultou na gravação do DVD dos Macacos. Este registro será lançado no segundo semestre. Entre os vários convidados o pianista Vitor Araújo e o Hurtmold ajudaram a “desconstruir a música dos Bongs. Esse formato ainda não chegou em Cuiabá e essa prévia só serve para avisar que possivelmente na edição do Calango desde ano teremos o tão falado projeto. A torcida é grande. Ninguém foi embora antes de acabar e a segunda-feira começou boa.

2 Responses to “Moveis Coloniais de Acaju @ Casa Fora do Eixo”


  1. 1 Gabriel Lucas maio 13, 2010 às 6:20 pm

    Grande Dewis, Grande Resenha!

  2. 2 Roger Dario junho 25, 2010 às 10:42 pm

    Salve Davis, meu novo velho amigo…
    Sinceramente, nós dias de hoje, encontrar alguém que escreva assim tão bem quanto você, quando a temática é a música, está sendo um sufoco heim.
    Mas jhá reserva à algumas pessoas um grande talento, e isso, você tem sobrando velho…

    Parabéns mesmo pelo belo texto.
    Vida londa ao Carpatia

    Abraços


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Carpatia

Este é um blog de pesquisa musical. Por aqui rola de tudo, de tudo mesmo. Manda logo um e-mail, dewiscaldas@gmail.com

Visitas

  • 103,117 acessos
Follow dewiscaldas on Twitter

Acesse o Flickr do Blog

Mais fotos

Visite

Quem escreve?

Dewis Caldas é músico, jornalista e pesquisador musical.

Clique e baixe o Disco da Semana

Disco da semana

Raimundo Soldado (1946 – 2001)
O Astro do Maranhão [1985] #forró #santa_inês #arrocha

A Maravilhosa Nuvem de Tags

2 filhos de francisco rita lee cérebro eletrônico lee ac dc black Ice acid rock acid rock beach boys pink floyd progressivo space acid rock led zeppelin gentle giant beach boys yes pink Amado Batista Sony BMG Amy Winehouse Lioness Arctic Monkeys Axl Rose Geffen Chinese Democracy Guns And Roses desapa barack obama lula BBKing Museu Mississipi beatles billboard brasil blue man group Phil Stanton Chris Wink Matt Goldman brega Britney Spears Nua britney spears ronaldo fenômeno circus Cake Gloria Gaynor carlos casagrande altas horas skank sonny BMG centro de eventos do pantanal chitãozinho zororó pauoo sérgio brega dewis caldas corinthians roberto carlos cuiabá Dewis Caldas Ormanne die dual disc matanza bruce springteen duran duran new romantic new wave sintetizador eddie van halen eruption factoide festival calango Franz Ferdinand vazou glam rock 70 david bowie T.Rex Hard Rock Heavy Metal hermeto pascoal horario eleitoral Jimmy Page Leona Lewis Toca Rauuul john lennon joão gilberto gravações raras chico pereira julian casablancas kiss brasil lilly allen It’s Not Me It’s You live nation ticketmaster fusão madonna Brasil Live Nation Warner Brothers Hard Candy S madonna live natin sticky and sweet Madonna Live Nation mallu magalhães marcelo camelo jerry lee lewis mary ga mallu magalhães marcelo camelo my space mário caldato mark ronson lily allen britney spears emi sony bmg jive mercedes sosa michael jackson Michael Rapino moby in this world morre mpb noel gallagher soco oasis panaca OEMT Paralamas do Sucesso Brasil Afora paul mccartney paul mccartney mcdonalds paulo mccartney beatles eleanor rigby memory almost ful pink floyd pink floyd midia Portishead power pop Pete Townshend Rubber Soul Audities The Monke queen brasil paulo rodgers Rage Against the Machine We Are Scientists revival cult morrisey vazamento de discos led radiohead banda antiga the police cauby peixoto amy winehouse quincy jones britneys spears new wave backstreet boys spice girls steve vai richar wrigth pink floyd rip Robert Johnson montagem sem tags por favor Sub Pop Geffen Records NIrvana Guns and Roses talking heads once in a lifetime U2 vazou world music

Ranking dos mais acessados

  • Nenhum

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 6 outros seguidores


%d blogueiros gostam disto: